Você daria R$ 2 bi a uma startup que vende legumes? Pois isso aconteceu

Em 30 de Outubro de 2018

Compartilhe o conteúdo!

A Meicai, uma startup chinesa que ajuda produtores a vender vegetais a restaurantes, levantou pelo menos US$ 600 milhões (na cotação atual, 2,2 bilhões de reais) em rodada de financiamento liderada por Hillhouse Capital e Tiger Global Management, disseram pessoas familiarizadas com o assunto.

O dinheiro será usado para expansão em um momento em que a startup disputa uma fatia maior do fragmentado mercado de abastecimento alimentar da China, disseram as pessoas, que pediram para não ser identificadas porque os detalhes são privados.

Segundo uma pessoa familiarizada com o assunto, a empresa levantou cerca de US$ 800 milhões a uma avaliação de cerca de US$ 7 bilhões. Antes do investimento, a Meicai teria sido avaliada em cerca de US$ 2,8 bilhões na rodada de financiamento anterior, em janeiro.

A Meicai, cujo nome significa “vegetais bonitos”, foi fundada em 2014 por Liu Chuanjun, um cientista de foguetes que estabeleceu a meta de fornecer produtos para cerca de 10 milhões de restaurantes de pequeno e médio portes na China.

Usando um aplicativo de smartphone, os clientes podem encomendar especialidades como acelga chinesa e grãos de pimenta de Sichuan diretamente das fazendas, modificando o comércio atacadista tradicional ao eliminar intermediários.

Cao Xue, uma porta-voz da Meicai, preferiu não comentar sobre a captação de recursos. A agência de relações públicas externa da Tiger Global não respondeu imediatamente a um pedido de comentário enviado por e-mail. A porta-voz externa da Hillhouse preferiu não comentar.

A rodada de financiamento está entre as maiores para uma startup chinesa neste ano. O Full Truck Alliance, maior aplicativo do país de serviços de longa distância semelhantes aos da Uber, levantou US$ 1,9 bilhão em abril, enquanto a Pinduoduo, uma empresa chinesa de comércio social, arrecadou mais de US$ 1 bilhão no mesmo mês antes de realizar sua oferta pública inicial.

A Meicai, que tem sede em Pequim, conta com Genesis Capital, GGV Capital e China Media Capital entre as investidoras atuais. O financiamento ressalta as avaliações elevadas que as empresas chinesas de alto escalão ainda estão alcançando apesar da queda nos mercados de ações locais e do congelamento da captação de recursos denominada em yuans.

conteÚdos relacionados

AHPAS oferece transporte e apoio sociofamiliar gratuito a crianças e adolescentes em tratamento de câncer

Saiba mais
ONG que apoia luta contra o câncer busca recursos durante a Covid-19

Envio de pedidos para ano base 2017

Saiba mais
Para ano-base 2017 da Lei do Bem

Durante a crise causada pelo Covid-19 é importante manter a produtividade

Saiba mais
5 plataformas para fazer reuniões online

Conceitos básicos da Lei 11.196 de 2005

Saiba mais
ABC da Lei do Bem