Design Thinking não é um workshop!

Em 12 de Agosto de 2021

Compartilhe o conteúdo!

Quando a maior parte das pessoas ouve a palavra design, imediatamente a associa aos atributos estéticos de algo: uma revista, um espaço muito bem projetado, um produto incrível, uma marca excepcional etc. Entretanto, a maneira de pensar dos designers - e sobretudo de agir sobre as coisas - tem a capacidade de tornar tudo mais criativo.

Assim, o Design Thinking foi uma maneira de "popularizar" a forma de pensar dos designers, levando para outras áreas o que chamamos de pensamento abdutivo, pois como afirma Tim Brown, autor do livro Design Thinking, o design é poderoso demais para ficar apenas nas mãos dos designers.

Acontece que, chegando ao mundo dos negócios, o Design Thinking virou um workshop e, aparentemente, qualquer problema pode ser resolvido em um workshop de 3h. 

O Design Thinking não é um workshop! 

O raciocínio abdutivo, isto é, criativo, inovador, é um exercício constante. Aprender a divergir e a convergir no momento certo é uma competência que deve ser adquirida pelas equipes todos os dias. Mais do que conhecer e exercitar o processo em um workhsop, é essencial transformar a prática cotidiana. De nada adiantam as 3h de workshop se o que acontece em seguida é o retorno ao trabalho burocrático e limitante. 

Empatia, colaboração e experimentação: os pilares do Design Thinking, devem ser uma constante no ambiente de trabalho inovador. 

Clarissa Martins, consultora da Pieracciani.

conteÚdos relacionados

A inovação possui papel central para garantir a competitividade das organizações

Saiba mais
Programas Internos de Geração de Ideiais

Tradicionalmente, o modelo de inovação adotado pelas grandes corporações do século XX era um modelo de inovação fechada

Saiba mais
Características da Inovação Fechada e da Inovação Aberta

A Jornada do Usuário é uma representação sintética que descreve passo a passo como um usuário interage com um serviço.

Saiba mais
Jornada do Usuário: uma forma de entender e melhorar as interações

Para muitos, essa pergunta causou um leve desconforto e uma certa agitação. Arrisco dizer que são sintomas de uma estratégia talve

Saiba mais
Qual é o propósito que você está atendendo: o seu, da sua empresa ou do cliente?

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Conheça nossa Política de Segurança.