Lei do Bem: Uma segunda opinião pode aumentar resultados e mitigar riscos

Por Francisco Tripodi, 24 de Julho de 2019

Compartilhe o conteúdo!

Lei do Bem: Uma segunda opinião pode aumentar resultados e mitigar riscos

 

É comum recorrermos a um especialista quando estamos em situações críticas ou que exijam algum saber técnico.
Isso acontece, por exemplo, em casos relacionados a saúde; nessas situações não basta uma busca no Google ou a opinião de amigos para determinarmos o que fazer, pois é o confronto de informações fornecidas por especialistas da área que garante a melhor decisão e provavelmente o tratamento mais eficaz. Mas será que precisamos fazer isso somente em situações que envolvam a saúde? Quando se fala em decisões estratégicas a troca de informações é essencial.

A exemplo do diagnóstico finalizado hoje por nosso Time,  analisamos os resultados de uma grande empresa do setor automotivo que utiliza os incentivos da Lei do Bem sem apoio contínuo de uma consultoria especializada.

O que observamos foi que a nossa avaliação possibilitou o aumento da renúncia fiscal em 45% e a correção de erros que provavelmente implicariam em glosas de projetos e dispêndios. Outro fato importante aconteceu no início deste ano, quando realizamos uma pesquisa com empresas beneficiárias da Lei do Bem que gerenciavam seus programas de inovação internamente ou com o apoio de uma empresa reconhecidamente de auditoria/contabilidade.

O resultado foi que essas beneficiárias deixavam de aproveitar, em média, 31% dos dispêndios elegíveis para fins de incentivos.

Ambos exemplos mostram que quando não há o acompanhamento especializado é comum que os resultados não alcancem integralmente seu potencial.
Lembre-se! Estamos nos aproximando da data limite para envio do FORMP&D ao MCTIC, mas ainda há tempo de buscar uma segunda opinião e potencializar os resultados da sua empresa.

O Time Pieracciani está à disposição para ajudar a sua empresa a conseguir máximo aproveitamento nas Leis de Incentivo.  Faça uma consulta conosco e tenha um diagnóstico de como potencializar o uso de subvenções.

Francisco Tripodi

Francisco Tripodi

Sócio-diretor da Pieracciani

Administrador de Empresas, MBA em Gestão Financeira, Auditoria e Controladoria pela FGV. Consultor especializado em gestão de projetos de Inovação Tecnológica, ferramentas e modelos de gestão. Implementou sistemas de gestão de portfólio e priorização de projetos. Coordenou o desenvolvimento do software de Gestão da Inovação, alinhado às exigências do MCTI e da Receita Federal.

conteÚdos relacionados

O que a inovação frugal tem a ver com sustentabilidade? Neste artigo, exploramos os pontos de convergência...

Saiba mais
O que a inovação frugal tem a ver com a corrida sustentável?

Investir em inovação é essencial para se manter moderno e relevante, mas como provar o valor do investimento em inovação?

Saiba mais
Como provar o valor da inovação dentro da minha empresa?

Proteger, promover e respeitar os direitos humanos não é papel apenas do Estado. As empresas devem assumir seu papel...

Saiba mais
Empresa e Direitos Humanos – Sinergia Positiva

Os incentivos fiscais correspondem a medidas importantes no cenário brasileiro, sendo garantidos por lei.

Saiba mais
Como utilizar os incentivos fiscais da Lei do Bem em prol da inovação?