O Rota 2030 e a Engenharia do Processo Produtivo

Por Pieracciani, 21 de Março de 2019

Compartilhe o conteúdo!

Fábricas do futuro serão competitivas e sustentáveis em escala global

As fábricas de automóveis e caminhões, bem como as de seus componentes, vêm sendo continuamente otimizadas, quando não radicalmente modificadas. As novas operações, os novos componentes e fases de processo, têm como premissa cada vez mais precisão com automação, e, principalmente, adequação a sistemas de produção e controle que comportam grande evolução tecnológica. Grandes mudanças estão em pauta. 

Os objetivos principais recaem sobre a produtividade e a flexibilidade no processo produtivo. Não se discute qualidade e segurança. Os índices zero defeito e zero acidente devem estar consolidados. 

A concepção dos novos modelos, bem como arquiteturas e plataformas padronizadas, a definição e projeção da escala ótima de produção, dos projetos de engenharia de produto e processo integrados, são apenas parte da cadeia de pesquisa e desenvolvimento.

Muitos outros fatores que influenciam o resultado econômico encontram-se além dos limites da chamada “montadora”. Para obtê-lo, de forma ampla e sustentável, é necessário que parceiros e fornecedores sejam mobilizados o quanto antes no processo de pesquisa e desenvolvimento. Devem participar do esforço de P&D, necessariamente, todos os fornecedores de peças, serviços e soluções de processo, específicos ou não para a nova produção.

Devem participar do esforço de P&D, necessariamente, todos os fornecedores de peças, serviços e soluções de processo, específicos ou não para a nova produção.

Um novo produto e uma nova produção, portanto, constituem uma grande oportunidade de projetos de P&D, de patentes, de conhecimentos, de manuais e procedimentos, de metodologias de análise e experimentação, de padronização e normatização.

Todas essas atividades são incentivadas pelo Programa Rota 2030, que cumulativamente com a Lei do Bem, constituem um adequado arcabouço legal de benefícios fiscais. 

Todos os elos da cadeia podem se beneficiar. E fornecedores de peças e serviços que compreendem desenvolvimento tecnológico, sem dúvida. Devemos seguir os adequados modelos de gestão da inovação e habilitar-nos desde já. Não podemos perder tempo e dinheiro, deixando de obter um incentivo que, sem dúvida, ajudará o país a gerar empregos de alta qualificação. 

As possíveis reduções de custo em pesquisa e desenvolvimento são da ordem de 10,2 a 39,7%. Dúvidas? Estamos preparados? Qual estratégia seguir? 

Vamos estender a conversa em nossas plataformas.

Deixo o convite para você acessar nossos canais e manter-se informado sobre o assunto:

A Pieracciani possui mais de 26 anos de experiência. Desenvolvemos, implantamos e monitoramos soluções personalizadas para que sua empresa busque a máxima competitividade com o mínimo custo e investimento em inovação. Acompanhamos no dia a dia as oportunidades no Sistema Nacional de Inovação. Classificamos e qualificamos os projetos atuais e futuros de seu portfólio de acordo com as múltiplas linhas de incentivo e fomento. Estruturamos os documentos necessários, monitoramos os resultados e as prestações de contas ao longo dos projetos.

Pieracciani

Pieracciani

Um Time multidisciplinar preparado para pesquisar, conceber soluções e agir de forma inovadora.

conteÚdos relacionados

Novo livro de Valter Pieracciani fala sor=bre

Saiba mais
Valter Pieracciani lança seu 4º livro

Começa hoje o Novembro Azul, mês dedicado à conscientização e tratamento do câncer de próstata

Saiba mais
Novembro Azul: entenda porque é tão importante estar atento ao câncer de próstata

A cerimônia acontecerá sexta-feira no Fórum AB Diversidade no Setor Automotivo

Saiba mais
Pieracciani assina cumprimento dos Princípios de Empoderamento das Mulheres

Por Sofia Campos, coordenadora de Engenharia da Manutenção na MRS Logística - Membra do Núcleo dos Inovadores 

Saiba mais
Não é preciso olhar para as estrelas